Notícias

Brasil registra superávit de US$ 662 mi nas transações correntes em maio

Imagem retirada de https://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/brasil-registra-deficit-de-us1134-bi-nas-transacoes-correntes-em-fevereiro-melhor-que-esperado-181959
Imagem retirada de https://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/brasil-registra-deficit-de-us1134-bi-nas-transacoes-correntes-em-fevereiro-melhor-que-esperado-181959

O Brasil teve superávit em transações correntes de 662 milhões de dólares em maio, somando em 12 meses um saldo negativo equivalente a 0,75 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), divulgou o Banco Central nesta segunda-feira.

O dado veio abaixo da expectativa de superávit de 725 milhões de dólares do mercado, conforme pesquisa da Reuters com analistas.

No mês, os investimentos diretos no país (IDP) somaram 7,1 bilhões de dólares, um pouco abaixo da projeção de analistas de 7,5 bilhões de dólares.

No acumulado dos cinco primeiros meses de 2019, o déficit em transações correntes é de 7,576 bilhões de dólares, abaixo do rombo de 8,162 bilhões de dólares em igual período do ano passado. O fluxo de IDP no acumulado do ano --de 35,137 bilhões de dólares-- foi mais do que suficiente para financiar o déficit.

Em 12 meses, o saldo negativo chegou a 13,923 bilhões de dólares, equivalente a 0,75 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

Por ora, a projeção do BC é de que o país fechará o ano com rombo em transações correntes de 30,8 bilhões de dólares. A projeção deverá ser revisada no próximo Relatório Trimestral de Inflação, na quinta-feira.

Em maio, a balança comercial ficou positiva em 5,686 bilhões de dólares, patamar semelhante ao do mesmo mês de 2018, quando o saldo foi positivo em 5,559 bilhões de dólares. No período, as exportações subiram 10,5% sobre um ano antes, enquanto as importações tiveram um avanço de 13,9%.

No ano, no entanto, as exportações acumulam queda e as importações têm alta de apenas 2,6%.

Com menor crescimento econômico, a tendência é de um apetite mais modesto pelas importações comerciais e de serviços, o que contém o déficit das transações correntes.

A conta de serviços foi deficitária em 2,989 bilhões de dólares em maio, frente a um saldo negativo de 2,733 bilhões no mesmo mês de 2018. No mês passado, os gastos líquidos de brasileiros com viagens ao exterior apresentaram queda de 11,3 por cento em relação a um ano atrás, somando 1,053 bilhão.

Fonte: Udop, com informações da Reuters (escrita por Isabel Versiani)